O Beltrame, ex-secretário de segurança do Rio, é a favor da descriminação das drogas. O Fernando Henrique Cardoso, também. Estes e outros ícones da direita, a maior parte da intelectualidade à direita e à esquerda, e mais os especialistas em segurança pública também acham um desperdício de recursos e vidas as atuais políticas de repressão. Pessoalmente, não consumo cocaína, maconha, Tang, cerveja de milho e outras drogas, mas também acho que deve ser tratado como problema de saúde e não com repressão burra, que favorece a corrupção e o crime. Por outro lado, não tem narcotraficante a favor de pagar impostos e contador; sai mais caro que pagar propina. Eliminar a concorrência a bala é mais barato que anunciar na Globo e já desregulamentaram faz tempo as relações trabalhistas, adiantando-se ao Temer.
O Malafaia acusa o candidato a prefeito do Rio de apoiar a descriminalização das drogas. Na verdade, legalizar ou não o que quer que seja, nem é função de qualquer prefeito. Ele acha que é coisa de esquerdista e que está fazendo uma crítica. Vai acabar ajudando a eleger o adversário. Na verdade, o único regime que usou drogas como política de Estado, a metanfetamina, foi o nazismo, o modelo extremo da direita. Pergunte-se como tratam os narcotraficantes na China.
Seguindo assim, na próxima é capaz de acusar os Dez Mandamentos de propaganda esquerdopata e ataque à sua igreja.
Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest

About the Author